quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Temporada de Outono/Primavera 2012: Considerações Finais


Melhor da Temporada?

Pode conter um spoiler ou outro caso você não tenha assistido a nenhum dos animes citados aqui.

Oi pessoal! Mais uma temporada de animes chegou ao fim, e como de costume, eu trouxe minhas considerações finais sobre os animes que eu vi (ou continuo vendo, dependendo da quantidade de episódios).

Até a data de publicação deste post, o Lucas não tinha me respondido se ele ia escrever o dele. Então pra não deixar vocês sem uma opinião, eu vou postar a minha parte. Caso ele me mande a parte dele, eu coloco aqui.

Como todo post de temporada, esse ficou grande. Caso não queira ler tudo, procure pelos animes que te interessam. E não se esqueça de comentar no final ^^ Prevejo minha morte nos comentários

Magi: The Labyrinth of Magic

Magi foi uma graça aos meus olhos essa temporada, que foi recheada de animes bons. Ainda não tendo terminado sua exibição, o anime tem se mantido constante, com personagens cativantes. Morgiana, Aladim e o Sinbad são personagens tão diferentes, mas ao mesmo tempo eles nos prendem.

Quanto ao Alibaba, tá precisando dar uma melhoradinha na autoestima, nas habilidades de luta, ganhar uma coragem aqui, vontade vencer ali, para ficar um bom personagem, digamos que, quase principal. Vamos combinar, o Sinbad é mais legal que o Alibaba.

Como o anime não terminou, vou parar por aqui porque eu não tenho muito mais o que falar.

Kamisama Hajimemashita

Adorável *0* Tomoe, eu me apaixonei por você

Kamisama Hajimemashita é aquele shoujo levado mais pro lado da comédia, mas sem se esquecer de momentos mais dramáticos. No início, a garota humana se torna uma deusa e tem que aprender a lidar com esses novos deveres. E com estes, veio um familiar pra lado de temperamental, que acaba que se mostrando um ser de passado triste e romântico.

Nanami é a personagem principal estabanada, desajeitada, que quer fazer tudo do jeito certo, mas sempre acaba errando em alguma coisa. Já Tomoe, o bishounen da vez, é o personagem que as fangirls não conseguem não se apaixonar.

A trama é divertida, leve, e realmente me prendeu de um jeito tão profundo que eu agora acompanho o mangá. Pra quem gosta do gênero e está a toa, fica a dica.

Sukitte Ii na Yo

Como eu escrevi nas Primeiras Impressões da Temporada, é o tipo de shoujo padrão, com a menina destratada pelos outros ou invisível a eles, que de repente, se torna o par romântico do cara mais lindo, legal e popular da escola. E os próximos passos são o desenrolar do romance dos dois, com a intervenção de ex-namoradas ou garotas apaixonadas pelo carinha e rapazes que de repente começam a se apaixonar pela protagonista.

Yamato e Mei não me convenceram muito como casal, quero dizer, a ingenuidade e inexperiência da Mei somadas com eventuais descasos do Yamato não fizeram as coisas andarem num passo mais rápido, algo muito comum nesse tipo de anime. Fato é que eu fiquei meio cansada de tanta inércia da Mei, sem contar o quão ingênua ela é.

“Mas, Maya-chan, Kimi ni Todoke não é assim também?” vocês me perguntam. Kimi ni Todoke se bobear é mais parado que Sukitte Ii na Yo, mas tem alguma coisa diferente, não sei explicar.

Enfim, devem ter aqueles que adoraram e outros, como eu, que assistiram só por assistir, e mais alguns que desistiram ao longo do caminho. Enfim, acho que vale a pena conferir se você gostar do tema.

CODE:BREAKER

Que venha uma segunda temporada, por favor.

Apesar de Sakurakouji Sakura ser uma personagem irritante pra mim, o resto do elenco do anime é ótimo. Os Code Breakers em si são um núcleo interessante, que te prende, que te faz torcer, que te dá vontade de ter aquele poder ou, quem sabe, aquele outro.

Não ficou explicado porque a Sakura é uma realmente uma Espécie Rara. Quero dizer, sabe-se que ela não é afetada pelos poderes dos Code Breakers, mas não o porquê de ela não ser afetada. Quem ela é, de onde veio, qual o passado dela. Isso ficou vago, e provavelmente é algo que é mostrado em uma parte do mangá que não foi selecionada para se fazer o anime.

O poder do Ogami também se mostrou interessante quando não limitado, coisa que interessou bastante o Primeiro-Ministro. Será que Ogami  fará parte de um plano maior e sinistro do governo? Será ele usado em algum experimento maligno? Que conspirações mais o Primeiro-Ministro fará? Só lendo o mangá pra saber ¬¬, já que não sabemos se haverá uma continuação do anime.

Eu senti um pouco de pena do Hitomi. Apesar do motivo dele ser justo, seria mesmo certo e necessário fazer tudo aquilo? Bem, aí entramos na questão, a meu ver, principal da trama: os meios justificam os fins? O que, afinal, é certo ou errado? O que te define como bom ou mau?

E, pra não esquecer o lema de Ogami, Olho por olho, dente por dente, maldade por maldade.

PSYCHO-PASS

Um dos melhores da temporada, este anime veio pra mexer com o nosso psicológico. Ou não.

Apesar da Inspetora Akane ser daquelas personagens irritantes também, ela protagonizou um dos melhores momentos do anime. A difícil decisão de matar alguém pra salvar a vida de outro.

Matar alguém que o sistema considera inocente seria certo para salvar a vida de sua melhor amiga? Analisemos a personalidade da Akane. Uma pessoa passiva, que apenas vê o melhor em tudo. Pessoas instáveis, como os criminosos latentes, também tem suas qualidades. E nesse caso tem mesmo. Para ela, criminosos podem ser resgatados de suas confusões mentais. Matar para ela não é uma opção que vem em primeiro plano. Ela segue o sistema.

Então se imagine no lugar da inspetora. Você poderia atirar mortalmente em um homem, que segundo Siblia, é inocente, mesmo ele estando a ponto de abrir a garganta da sua melhor amiga?

 Você sabe que ele é culpado, é um criminoso. Ele está ali, na sua frente, ameaçando ceifar a vida de uma importante pessoa pra você. Mas o sistema o julga inocente, e, portanto você não pode atirar nele e paralisá-lo com a Dominator, uma alternativa para não matá-lo. Você se vê sem opções. É tirar a vida dele ou ele tira a vida da sua amiga. O que você faz? Você pode atirar? Para alguém como a Akane, que nunca tinha se visto em tal situação desesperadora, esse é um dilema profundo e agonizante.

O anime ainda traz mais. O quão você pode brincar com a vida humana para satisfazer seus próprios desejos? Ou, o quão você pode se rebaixar e perder para que sua vingança seja feita? Ou, o quão perigoso e influenciador é se infiltrar na mente de um criminoso?

Perguntas e mais perguntas que serão feitas e talvez respondidas até o anime terminar.

K

K foi visivelmente talvez quem mais recebeu atenção nas cores e backgrounds. Com cores vivas e apresentadas de forma diferente, K foi uma bela animação. Bom, isso vem de uma pessoa que não entende nada disso, então não considerem uma opinião muito importante kkkk.

O anime se mostrou confuso no início, mas a produção resolveu ir desvendando os mistérios e nos esclarecer os detalhes ao decorrer do anime. Podendo até mesmo escolher um lado, azuis ou vermelhos, ou quem sabe o trio principal, o público foi apresentado a vários reis e personagens com passados diferentes.

E foi só eu que vi um romance em potencial entre a Awashima e o Rei Azul? Eu juro que ela soltou umas palavras enciumadas no último episódio da primeira temporada.

“Maya-chan, primeira temporada? Como assim mulher?”. Pois é, leitores do blog. Já foi anunciada uma segunda temporada de K. Contudo seu conteúdo é desconhecido.

Talvez será mostrado o resto do arco-íris dos reis? Kuro e Neko voltarão? Weissman/Shiro fará jus a seu título de rei imortal? Veremos.

Tonari no Kaibutsu-kun

Outro shoujo da temporada, ainda mais cômico. Tonari no Kaibutsu-kun é meio sem noção, e por isso é tão engraçado e legal. Haru é uma graça, uma coisa fofa. Mas perigosa. Eu podia jurar que ele ia empurrar o Yamaken daquela altura. E não ia ser algo muito bonito não.

Apesar da Shizuku ser fria e bem mais focada nos estudos e não dar atenção ao Haru, é legal ver como as diferenças não importam muito pra esse romance. Eles se amam. Ele a quer por perto. Ela tem seus próprios objetivos, mas no fundo ela o ama. E pronto. Simples assim.

O ciúme exagerado do Haru é anormal e te faz rir muito. Ele fugindo do irmão dele também. Tudo que o Haru faz é sem noção, sem nexo e sem sentido algum. E por isso amamos tanto ele.

E os personagens secundários receberam atenção em um nível que não tirou o brilho dos principais, mas também os deixaram apenas pra encher elenco. Sasayan, Natsume, Ooshima, o rival sem senso de direção Yamaken, o galo Nagoya e os outros. Eles têm seu próprio espaço e se desenvolvem bem nele.

Recomendado pra quem quer dar umas boas risadas.

Hiiro no Kakera Dai ni Shou

O fim de Hiiro no Kakera. Eu acho, né. Mas não tem cara de quem vai receber terceira temporada não.

Bem, morreu quem merecia morrer. E tivemos o romance que merecíamos ver. E eu não tive as respostas que eu queria ter. Que diabos era ‘Sibila’ que tanto a Aria chamava a Tamaki?

A cena do episódio 11 foi lindíssima. E a trilha sonora dessa cena foi perfeita. Fujita Maiko ganhou mais uma faixa nas minhas músicas.

Em geral, é um anime bonito. Com tantos bishounens, né, é meio difícil não ser. O ritmo do anime eu considero lento. Os pontos altos, como batalhas decisivas, custam a acontecer, mas pra quem tem paciência, vale a pena encarar se gostar de animes assim.

Sword Art Online

Sword Art Online não começou nesse temporada, mas está terminando nesta. Logo, recebe um review, pra cobrir todos os episódios entre a temporada passada e esta.

SAO foi a escolha minha e do Lucas como melhor anime da temporada passada (entre os que nós assistimos). E realmente, a primeira fase, até o 13º episódio se não me engano, foi muito boa. No entanto, a fase de AlfHeim Online (espero ter escrito certo) deixou muito a desejar.

Por onde começar meu descontentamento... Ahn... Levemos muito tempo pra ver uma luta decente do Kirito. Na minha opinião, a primeira luta decente dele na fase nova de SAO foi quando ele usou a magia e se transformou naquele monstrão lá. Depois disso, apenas quando ele lutou contra o capitão do exército da outra raça que queria atrapalhar a assinatura do acordo. (Ficou confuso, mas eu não lembro a raça de ninguém ¬¬)

A luta final foi boa, apesar de me dar um pouco de asco o vilão fazendo aquilo com a Asuna.

Outra coisa que me cansou um pouco foi a irmã/prima do Kirito. Aquela menina é sonsa ou o quê? Dava pra ver direitinho que o avatar do Kirito era ele e ela nem pra notar que aquele era o primo dela? Outra coisa foi o ‘amor’ dela por ele. Ah fala sério...

Os minutos finais não me agradaram também. Para começar, o Kirito e a prima naquele chamego todo. Aquela dancinha nos céus era para ser com a Asuna.

Isso foi uma coisa que eu senti falta também. Kirito e Asuna passaram por aquilo tudo e nem uma cena mais romântica pra finalizara sofrida estrada dos dois.

Outra coisa, o Kirito zerou todos os... Como vocês, gamers, chamam isso mesmo? Essas paradinhas sabe, velocidade, força, habilidade e afins... Ah que seja... Eu não abriria mão disso não. O mais legal é quando você vira o fodão. Qual a graça de ficar fraco de novo? E não, eu não aceito o argumento que ele queria zerar o castelo, e ficar forte a medida que avançasse cada nível kkk

Então, balanceando a primeira metade com a segunda, SAO em geral foi um pouco mais que mediano. Partes muito boas, com outras nem tanto. Se eu recomendaria a alguém? Se o anime tivesse finalizado na primeira parte, com certeza. Mas tendo assistido até o final, eu ficaria em dúvida... Eu acho que diria o seguinte “Olha, é até legal, tirando o final”. Isso pra não dizer “tirando a metade final”.

BTOOOM!

Deixou muito a desejar. Sinceramente, não gostei. Eu assisti até o último com uma força de vontade absurda. A mesma que eu vou ter pra assistir One Piece, espero.

Eu esperava mais do Sakamoto como principal. Cadê todas as habilidades que ele aprendeu no jogo online? Tá, tudo bem, ele as usou, mas não com tanta frequência como eu queria. O melhor momento foi quando ele assumiu outra ‘personalidade’ quando enfrentou aquele menino. Depois disso, pra mim não fazia muita questão ele morrer ou não.

Eu me decepcionei demais com a inocência do Sakamoto. Acreditar em todo mundo no meio de um jogo mortal é pedir pra ser morto. E ele quase foi. E, de verdade, eu estava esperando o Sakamoto ser emboscado e daí ele fazer uma saída de mestre a lá Raito ou Lelouch. Mas não. O confronto citado no parágrafo de cima satisfez minha vontade apenas uma vez. Eu estava esperando essas saídas de mestre triunfais mais vezes. As outras vezes que ele escapou não me impressionaram em absolutamente nada.

Personagem principal sem carisma não dá. Não teve um personagem pra salvar, nenhum pra eu torcer. Por mim que morra todo mundo! E para constar, a Himiko tinha uma cara muito redonda, às vezes era estranho.

Shin Sekai Yori

Os olhos dos personagens as vezes ficam estranhos, sabe? Mas o enredo de Shin Sekai me prendeu de um jeito que eu vou ser obrigada a seguir até o fim. É um mundo tão diferente, com situações tensas e atitudes extremas para proteger a sociedade, sabe?

Por que fizeram aquilo com o Shun? Por que logo o Shun lindinho? Meu coração foi destruído com essa separação tão brutal.  T.T

Tirando o drama de fangirl de lado, eu queria compreender melhor os eventos yuri e yaoi (apesar de que no anime não passaram de beijos e carícias) . Por que todos os casais adolescentes necessariamente eram homossexuais? Por que não alguns menino-menina e outros menino-menino/menina-menina? Eu queria entender o que leva os jovens a formarem casais homossexuais na adolescência e depois desfazerem isso, formando casais hetero e tendo filhos e etc.

Deixando isso de lado também, Saki está tendo seu momento de maior destaque, já que está cotada a ser a nova líder da cidade no futuro. O jeito é continuar assistindo pra saber o que vai acontecer com os amigos que restaram.

Zetsuen no Tempest

E minha dose de Shakespeare ainda não acabou, para minha alegria.

Eu não sei descrever o que eu vi em Zetsuen no Tempest que me deixou tão vidrada. Eu fico contanto os dias pro anime ser lançado. Eu quase morri nesse hiato que ele fez no fim de ano. o.o

Leve exagero a parte, a forma como Zetsuen no Tempest se desenrola e te faz questionar os eventos é, no mínimo, intrigante. Você nunca tem certeza de nada: de que lado Mahiro vai ficar, se o Yoshino vai contar que era namorado da Aika, se algumas das árvores vai mesmo despertar, se a árvore de Gênesis é mesmo do mal, se foi ela que matou a Aika...

A toda hora as coisas se invertem e quem estava na vantagem, em um piscar de olhos, está a ponto de perder. É um anime bem construído, citando bastante as peças de Shakespeare em que foi baseada. [Só pra lembrar, as peças são Hamlet, Romeu e Julieta e a Tempestade].

 -----

Chegamos ao fim das Considerações Finais sem um Melhor da Temporada. Eu ficaria entre Magi, Psycho-Pass e Zetsuen no Tempest. São todos animes que continuam em exibição e merecem destaque e que merecem ser vistos. E todos possuem enredos tão diferentes, que não tem como escolher só um entre eles.

Mas e vocês? Tem um Melhor da Temporada? Discordam de algo que eu disse? Lembrando que eu estou aberta a críticas e opiniões diferentes da minha, contanto que elas sejam respeitosas e válidas. Algo como ‘tal anime é bom porque é bom e pronto’ eu não considero um argumento válido.

O mundo é feito de diferenças, então vamos respeitá-las. Se for pra me xingar nem precisa comentar, viu? Esses são os únicos comentários que eu não quero por aqui.

Desculpem qualquer erro de digitação ou gramática, qualquer frase que não dê pra entender o significado ou se alguma coisa dita aqui ofendeu alguém, não foi a intenção.

Então, galera, a gente se vê daqui uns dias na Temporada de Inverno-Verão 2012/2013: Primeiras Impressões. Até lá e obrigada por ler até aqui. Tchauzinho o/

7 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu também achei, meu anime preferido.
      SEM SANGUE! SEM OSSOS! SEM CINZAS!
      A despedida não foi bonita no último episódio?

      Excluir
    2. vcs devem estar felizes que K vai ter continuação ne ^^? eu fikei =P

      Excluir
  2. Respostas
    1. obrigada por comentar Helder! volte sempre ^^

      Excluir
  3. Assisti Sword Art Online: foi um anime bom, mas no final deixou aquele ar de "poderia ter sido melhor"... o jeito é esperar e ver se criam uma segunda temporada com os demais arcos...
    Magi realmente é muito bom, ao meu ver está sendo o melhor da temporada: tem muitos personagens carismáticos, lutas empolgantes e um enredo sólido (pelo menos até o presente momento)
    Um anime dessa temporada que acho que vale a pena ver também é Ixion Saga DT: não tem nada certo naquela "coisa" mas é bem engraçado ^^
    No mais, ótimo trabalho com as Reviews

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu cheguei a assistir o 1º episódio de Ixion Saga DT, mas não me prendeu o suficiente para eu querer assistir o 2º, o 3º e por aí vai.
      Obrigada pelo elogio sobre as reviews. Eu ainda não acho que eu cheguei em um nível bom de reviews, mas eu fico feliz saber que do jeito que está agora está agradando. Vou continuar tentando melhorar
      Obrigada por comentar, Kaito ^^ Volte sempre!

      Excluir